Sobre

O Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha foi fundado em 1948 com o objetivo de representar a Madeira e Portugal no Concurso Internacional de Danças de Madrid, em Espanha, evento em que foi agraciado com o 2º lugar na modalidade de Danças Mistas. O dia 1 de novembro foi a data escolhida para a celebração do seu aniversário. O seu primeiro diretor artístico foi Carlos Maria dos Santos, etnógrafo que realizou inúmeras recolhas sobre as músicas, danças, trajes e costumes de todo o arquipélago da Madeira contribuindo de forma muito relevante para a projeção deste Grupo dentro e fora do país. Graças ao grande número de homens e mulheres que passaram pelo Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha, a sua atividade permaneceu ininterrupta desde 1948, fazendo dele o mais antigo grupo de folclore na Região Autónoma da Madeira. As músicas e danças representadas remontam ao século XIX e ao início do século XX. Contudo, elas evocam reminiscências que retrocedem ao século XV e à colonização da ilha. Já representou a ilha da Madeira em todo o território Português, Europa, América do Norte e do Sul, África, Médio Oriente e Oceânia. Foi distinguido e reconhecido pelo seu trabalho em defesa da cultura popular pelo Governo Regional da Madeira, pela Secretaria Regional do Turismo e pelo Município de Santa Cruz.

Trajes

Após a chegada dos portugueses à ilha da Madeira, esta foi povoada por colonos, na sua maioria, oriundos do continente português. Dada a sua situação geográfica, foi ponto de passagem de diversas rotas comerciais e, como tal, recebeu influências dos povos da Europa do norte e da costa ocidental da África. Supõe-se que no início do povoamento a indumentária usada seria a da terra de onde provinham os colonos que aqui aportaram. Todavia, com o passar do tempo, os modos de vestir dos habitantes da madeira foram-se alterando, traduzindo influências desta amálgama de culturas. Tendo o grupo surgido com o objetivo de representar a Madeira e as suas tradições, o traje escolhido pelo etnógrafo Carlos Maria dos Santos, diretor artístico, foi aquele se generalizou por algumas freguesias da ilha nos séculos XVIII e inícios do século XIX.

Traje de Vilão

O traje de vilão de linho branco é composto por camisa e calção de linho branco da terra. Na cintura usa-se uma faixa também de linho branco. Na cabeça é usada a carapuça azul de tecido baeta, e como calçado usa-se a bota chã.

Traje de Saia Listada

Composto por camisa de linho branco e corpete de cor vermelha com motivos florais bordados. A vistosa saia, tecida de lã, tem fundo vermelho e riscas verticais coloridas. A capa, a carapuça azul e a bota chã complementam a indumentária.

Traje de Seriguilha

É composto por calça e jaleco feitos em seriguilha, que é um tecido obtido a partir de lã de ovelha e de uma mistura de linho tecidos no tear. A camisa é de linho branco. Na cabeça, o barrete de orelhas, confecionado com lã de ovelha. Usado com bota chã.

Instrumentos

Os instrumentos usados pelo Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha são instrumentos tradicionais e/ou popularizados ao longo dos tempos na ilha da Madeira. Contam-se, entre eles, instrumentos de canto – harmónica, violino e flauta transversal – instrumentos de percussão – bombo, brinquinho, ferrinhos, entre outros – e instrumentos de corda – viola francesa, braguinha, viola de arame e rajão. A viola de arame, o rajão e o braguinha são instrumentos tradicionais da ilha da Madeira.

Harmónica

Violino

Flauta Transversal

Bombo

Árvore de Castanholas ou Brinquinho

Ferrinhos

Viola Francesa

Braguinha ou Machete

Viola de Arame

Rajão